Com privatização da CEB acelerada, saiba planos do GDF para outras estatais

Metrô, Caesb, Rodoviária do Plano Piloto e equipamentos públicos estão no projeto de parceria com a iniciativa privada

Metrô do DF

IGO ESTRELA/METRÓPOLES
Governo do Distrito Federal (GDF) tem dado andamento a um amplo projeto de parcerias com a iniciativa privada que inclui gestão de estatais e de equipamentos públicos.

Confira o detalhamento dos projetos para cada estatal:

Metrô

HUGO BARRETO/METRÓPOLESEstação do Metrô-DF

“Para colocar o metrô minimamente viável, teríamos de investir entre R$ 2,5 bilhões e R$ 3 bilhões, dinheiro que não existe na esfera pública”, disse, à época. “O metrô vai continuar tendo passagem subsidiada, mas por meio de uma empresa. O estudo que foi aprovado fala em renovar todos os trens, a malha e o sistema de energia”, detalhou Ibaneis ao Metrópoles.

De acordo com a Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), a ideia é transferir à iniciativa privada a gestão, manutenção e operação dos serviços de transporte metroviário por 30 anos.

Tribunal de Contas do DF (TCDF) deve analisar a concessão antes da publicação da licitação.

Rodoviária do Plano Piloto

MYKE SENA/ESPECIAL PARA O METRÓPOLESônibus

Para a Rodoviária do Plano Piloto, o GDF dá andamento a uma parceria público-privada (PPP) a fim de que uma empresa mantenha a infraestrutura e faça a gestão de todo o ambiente.

“Ali é um ponto que precisa ser administrado pelo privado, de modo a transformar o espaço em um grande shopping a céu aberto, onde as 700 mil pessoas que frequentam a rodoviária tenham condições de passar por um ambiente de dignidade, coisa que o Poder Público não consegue fazer”, afirmou Ibaneis à Grande Angular.

Caesb

JACQUELINE LISBOA/ESP. METRÓPOLESfachada caesb

O GDF estuda abertura de capital da Caesb. Esse processo seria diferente da privatização da CEB, na qual houve a venda de toda a subsidiária estatal para a Bahia Geração de Energia, da Neoenergia.

Nesse cenário, o DF continuaria como sócio majoritário, e uma parte da Caesb seria vendida na bolsa de valores.

Estacionamentos

IGO ESTRELA/METRÓPOLESCarros

O GDF iniciou, em 2020, a PPP para implantação de estacionamentos rotativos no centro da capital federal, projeto chamado de Zona Verde. Mais de 1,8 mil sugestões de alterações foram feitas durante audiências públicas remotas.

Em razão de críticas, o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, anunciou, em agosto, que seria ampliado o número de vagas gratuitas para moradores de quadras residenciais do Plano Piloto e do Sudoeste. À época, o gestor informou que a nova proposta está em fase de elaboração.

Segundo estimativas da Semob, a Zona Verde deve cobrar por cerca de 100 mil vagas no centro do DF. Desse total, 73 mil serão em áreas residenciais. A proposta é conceder o espaço, via licitação, para uma empresa privada por 30 anos.

Deixe sua resposta:

Escreva seu comentário
Seu nome