GDF distribui cobertores e cestas básicas para pessoas em situação de vulnerabilidade e também, ração para animais

Numa manhã que registrou 12ºC de frio na capital do País, a entrega de cobertores nesta sexta-feira (17), na “Vila dos Carroceiros”, região carente de Santa Maria.

Ao todo, foram doadas pela equipe da Defesa Civil do DF quase 170 peças, repassados pela Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância, um dos vários órgãos do GDF que fazem parte do Comitê de Emergência Covid-19, grupo de trabalho criado para amenizar o sofrimento de pessoas em situação de vulnerabilidade social.

“O frio começou com força esse ano, ainda bem que não esqueceram da gente”,agradeceu Marinalva da Cruz Oliveira.

“As doações foram recebidas ontem (16) e hoje (17), no primeiro horário, já estavam sendo entregues para aqueles que mais precisam. Quem tem fome e frio tem pressa”, destaca Anucha Soares, titular da subchefia.

Os preparativos para a entregas de cestas básicas e cobertores para quatro regiões administrativa do DF – Santa Maria, Candangolândia, São Sebastião e Jardim Botânico – envolveram cinco viaturas do Corpo de Bombeiros e duas caminhonetes da Defesa Civil. Logo cedo, onze agentes do órgão que fica localizado no Setor de Industria e Abastecimento (SIA), estavam carregando os carros com os mantimentos e as mantas. Cães e gatos de rua também foram lembrados e ganharam rações.

A principal entrega do dia mesmo foram os cobertores em Santa Maria. Os moradores da “Vila dos Carroceiros” estavam apreensivos e já esperavam no local marcado, antes mesmo das duas viaturas da Defesa Civil chegarem. Com mais de 20 anos de existência, a região, bastante pobre, tem cerca de 300 moradores e ganhou esse nome porque, no início, era um loteamento doado pela administração à categoria.

Estamos muito felizes com essa entrega, porque é uma comunidade que se sente esquecida pela sociedade”, contou Francinete Rodrigues. Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

 

“Estamos muito felizes com essa entrega, porque é uma comunidade que se sente esquecida pela sociedade”, lamentou Francinete da Costa Rodrigues, Líider comunitária da Região.

 

 

“Foi uma boa ideia do governo, é uma iniciativa que tem que ter mais vezes por aqui”, disse Valda Maria. Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

“Foi uma boa ideia do governo, é uma iniciativa que tem que ter mais vezes por aqui”, comentou Valda Maria Ferreira.

Com informações da Agência Brasilia
DOAÇÃO
Fonte: 

Deixe sua resposta:

Escreva seu comentário
Seu nome