Entrevista exclusiva com a Deputada Julia Lucy

 

“O desejo de ver mais mulheres na política brasileira foi um dos maiores motivos que me levou à candidatura” . Júlia Lucy

Olhos de Águia: Deputada Julia Lucy, poderia contar um pouco de sua vida aqui em Brasília?

JL: Sou mineira de Patos de Minas, passei minha infância em Ceilândia e adolescência no Areal. Meu pai tinha um pequeno comércio e minha mãe era professora da Secretaria de Educação. Fui mãe aos 17 anos e decidi que iria passar no vestibular e em um concurso.

Entrei para o serviço público aos 18 anos, como servidora da Polícia Federal (2004-2013); depois de passar no concurso de analista de ciência e tecnologia da Capes (2013-2014), me formei em ciência política da Universidade de Brasília e, atualmente, no servidor do Conselho Nacional de Justiça (desde 2014), licenciado para carga de parlamentar.

Olhos de Águia: O que a levou a candidatar-se ao cargo de Deputada Distrital?

JL: Eu me dei conta de que estávamos em uma situação tão lamentável como país e como cidade, tão profundamente corrompidos, que eu entendi que tinha que fazer alguma coisa para contrapor tudo isso. O desejo de ver mais mulheres na política brasileira foi um dos maiores motivos que me levou à candidatura.

Olhos de Águia: Qual foi o eleitorado que a fez chegar à Câmara Distrital?

JL: Eu Comecei participando de projetos voltados à defesa da mulher e empreendedorismo, fundei o #LigaDelas, que realize cursos de capacitação e projetos de independência econômica e empreendedorismo para mulheres.

Me identifico muito com o que preconiza o partido NOVO e isso me ajudou a defender suas bandeiras políticas econômicas, a redução da burocracia estatal e um Estado com menos intervenção na economia, além da geração de emprego e renda, a ética na política, a fiscalização de gastos públicos e promoção da chamada primeira infância.

Com essas bandeiras, tive votos em todas as Regiões Administrativas, com ligeira vantagem em Águas Claras, Guará e Plano Piloto.

Olhos de Águia: Deputada, este é o seu primeiro mandato, como avalia estes primeiros 15 meses de gestão?

JL: Tem sido um ano e meio de trabalho, aprendizado e resultados. Conseguimos avançar na pauta de desenvolvimento econômico, criamos como frentes parlamentares em defesa do Comércio Varejista, da Economia Criativa e da Primeira Infância e estamos construindo um novo entendimento na Câmara sobre a necessidade de revogar leis que atrapalham a economia, mas também por uma maior controle de constitucionalidade na Casa e adoção da transparência total com dados abertos.

Olhos de Águia: A senhora utiliza verba indenizatória e demais regalias à disposição dos deputados?

JL: Tive o mandato mais barato da Câmara Legislativa, economizando R$ 1,5 milhão apenas em 2019. Para isso, abrir a mão da verba indenizatória, cota postal, reduzi em 50% a verba do gabinete para contratação de assessores.

Recentemente, entre com Mandado de Segurança no TJDFT para anular a votação do projeto que inclui ex-deputados no plano de saúde da Casa, denunciando uma manobra antirregimental que, infelizmente, aconteceu na Casa. Enfim, temos defendido com muita coragem essas pautas para se aproximar da sociedade do parlamento, sempre com respeito aos recursos do cidadão pagador de impostos.

Olhos de Águia: A senhora realizou diversas fiscalizações e denúncias, pode falar um pouco sobre esse assunto?

JL: Com uma agenda constante de fiscalizações consegui barrar a compra de carros oficiais pela Câmara Legislativa e a licitação para instalação de restaurante na Casa, após identificação de sobrepreço no processo licitatório. Identificamos o sobrepreço na compra de cadeiras de rodas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (IGES), representação acatada pelo Tribunal de Contas.

Representamos ao Ministério Público sobre diversos assuntos: como questionamento  sobre o contrato da Secretaria de Saúde com a empresa Sanoli, por deixar de entregar as refeições em unidades de saúde; solicite uma análise sobre a legalidade e a constitucionalidade da lei que permitiu o pagamento de indenização de transporte para procuradores e solicita a representação que requer investigação sobre possíveis irregularidades na licitação para compra de uniformes escolares pela Secretaria de Educação, processo que foi suspenso.

Representamos, também, junto ao Ministério Público de Contas, pedindo a suspensão da nomeação do senhor Valdir Soares como então superintendente de Saúde da região Sudeste, que abrange Taguatinga, por improbidade administrativa cometida quando ainda era prefeito no Piauí.

Olhos de Águia: Quais são seus projetos futuros para a população do DF?

JL: Queremos desburocratizar o DF e trabalhar para fomentar a economia. Com um Covid-19, teremos uma crise muito grande que vai exigir muita responsabilidade por parte dos governantes. Precisamos reduzir os gastos do governo para realizar investimentos em infraestrutura e fomentar o desenvolvimento, gerar emprego e renda e reduzindo a dependência do DF do poder público, estimulando o desenvolvimento das nossas cidades.

Temos cinco iniciativas prioritárias que acabamos de apresentar: o projeto de lei que institui a Política de Retorno das Atividades Econômicas (PRAE), visando promover apoio aos trabalhadores para o retorno das atividades comerciais. Uma importante iniciativa para o fomento do desenvolvimento econômico do DF no pós-pandemia, permitindo a transferência direta de renda para possibilitar o retorno dos trabalhadores às atividades laborais.

Também temos o projeto que garante proteção e auxilio para mulheres em situação de risco neste período de Covid-19; o projeto de lei para incluir Conselheiros Tutelar entre o grupo a ser priorizado para realização de testagem em massa para um Covid-19; o PL que cria uma “Política Geladeira Solidária”, de combate ao desperdício de alimentos, permitindo que restaurantes e lanchonetes possam doar seus excedentes de alimentos, desde que em perfeitas condições de consumo. Por fim, temos um projeto de lei que concede isenção temporária para o Imposto sobre Transmissão “Inter Vivos” de Bens Imóveis e Direitos a eles Relativos (ITBI), que tenha fato gerador entre 1 ° de julho de 2020 e 31 de dezembro de 2020.

Olhos de Águia: Como é estar em uma legislatura onde seu partido não faz parte da base do governo?

JL: Trabalho de forma independente, apoiando as iniciativas do governo que são boas para uma sociedade e sendo contrárias aquilo que avalio não bom. O partido Novo tem essa cultura de independência, seus dirigentes não são mandatários e nem possui vínculo com eles, o que nos deixa bem à vontade de defender posicionamento com isenção e a transparência devida.

Olhos de Águia: Mesmo não sendo da base do governo, como é o seu relacionamento com o GDF?

JL: Respeito ou governador Ibaneis e reconheço sua dedicação, em especial, durante uma pandemia. Ele tem agido com coragem e seguindo dados e recomendações técnicas. Temos nossas divergências, mas ambos precisam entender que nossa missão é diferente e que devemos trabalhar para melhorar a qualidade dos serviços públicos ofertados à população, estimulando o desenvolvimento econômico. Seguirei fiscalizando e denunciando o que está errado, além de cobrar transparência e responsabilidade com os recursos públicos. Não espere de mim uma parlamentar que referende tudo o que governo propõe.

Olhos de Água: Estamos no meio de uma pandemia, COVID-19, o que a senhora acha deste momento?

JL:  É um momento muito delicado que exige ainda mais responsabilidade por parte de todos nós, em especial, os governantes. Devemos seguir as recomendações das autoridades sanitárias, evitando a propagação de vírus. Mas precisamos, também, pensar em soluções efetivas para sair da crise econômica provocada pelo Coronavírus. Não podemos agir como se os recursos fossem infinitos e sair aprovando qualquer projeto sem antes saber os impactos sociais, econômicos e fiscais que eles vão geram.

Destinei emenda parlamentar no valor de R $ 160 mil para o projeto “Mega Combate ao Covid-19 – Reestruturação Psico-Econômica ”, a ser desenvolvido em parceria com o Conselho de Desenvolvimento do Distrito Federal e o Instituto Lumiart , que fazem um bom trabalho em prol do desenvolvimento econômico. O objetivo é atender cerca de 10 mil micro e pequenos empresários, seus colaboradores e famílias, oferecendo cursos psico-econômicos para ajuda-los a desenvolver novas formas de gestão e enfrentar os desafios de combate ao Covid-19 e as mudanças que uma pandemia exigirá dos nossos empreendedores.

Olhos de Águia: Qual é a sua avaliação do governo do DF?

JL:  As decisões do governo tem sido rápidas e de modo integrado no combate ao Covid-19. O sistema de saúde vem conseguindo absorver uma nova demanda, mesmo que ainda faltem equipamentos de proteção individual (EPI) e outros insumos, houve uma estruturação neste momento de pandemia. As forças de segurança também estão atuando no combate ao coronavírus e os serviços essenciais estão em funcionamento. Agora, tudo isso tem um preço e o governo precisa agir com responsabilidade, delimitando prioridades e reduzindo despesas não essenciais, assim como a reabertura gradual e responsável das atividades comerciais.

Olhos de Águia: E do Governo Federal?

JL: Acho que o presidente Jair Bolsonaro precisa focar mais nos problemas atuais que temos no país ao invés de incentivar disputas institucionais e acirrar os ânimos no tocante à polarização  que tomou conta do país. Temos que sair dessa de “nós” e “eles” e agirmos  de forma a ter um país unido em combate às Covid-19 e nas demais crises.

Olhos de Águia: O Governador Ibanes irá reabrir o comércio do DF, qual é sua opinião sobre isso?

JL: Tendi ido à diversas Regiões Administrativas, fiscalizando unidades de saúde, visitando escolas que precisam de recursos do PDAF, recebendo demandas e ouvindo a população. O auxílio emergencial dos governos federal e distrital não tem chegado a muitos que precisam, obrigando trabalhadores informais e pequenos comerciantes a funcionarem clandestinamente, o que aumenta ainda mais o risco de contaminação.

Defendo a abertura de forma organizada e consciente, seguindo rígidas normas sanitárias indicadas pelas autoridades de saúde e protocolos definidos pelo governo e pelas entidades representativas de cada setor.

Olhos de Águia: Bom Deputada, agradecemos pela entrevista e aproveitamos para parabeniza-la por contar em seu gabinete com uma excelente equipe de trabalho, onde vejo excelentes profissionais na condução dos trabalhos legislativos. Quero expressar  meus agradecimentos especiais ao Jornalista Tiago Monteiro e a Assessora Técnica Heloísa Bessa.

Deixe suas considerações aos eleitores do DF!

JL: Eu agradeço pela oportunidade de entrevista e aproveito para colocar meu mandato totalmente disponível na sociedade, que pode encaminhar sugestões, denúncias ou críticas por meio de minhas redes sociais (@julialucydf) ou pelo whatsapp (61 99929-0444).

O interesse da população pela política tem crescido nos últimos anos e é uma ótima notícia. Cada vez mais, temos cidadãos insatisfeitos com a qualidade dos serviços públicos ou com o total de impostos que pagamos e precisamos deles para mudar a realidade do Distrito Federal e do Brasil, fiscalizando e cobrando os compromissos assumidos pelos governantes durante a campanha.

Fonte:  http://olhosdeaguianoticias.com.br

Deixe sua resposta:

Escreva seu comentário
Seu nome